Análise da Concorrência e Diferenciação - Parte II

21/10/2020
Image

No post anterior falamos como realizar a análise da concorrência, identificando oportunidade de melhoria e inovação para dentro do seu negócio. 
Antes de qualquer tomada de decisão é sempre importante retomar as informações coletadas da análise, assim eliminando o tal do “ achômetro” e tendo maior assertividade na decisão a tomar. 
Palavras lindas, mas o que quer dizer na prática? Veja o que seu concorrente está fazendo bem, o que está deixando de fazer, que lacuna deve ser preenchida e o diferencial que você irá trabalhar.
Não adianta ver o que é bom, precisa ser melhor, precisar ser um DIFERENCIAL! 

O que é diferencial?

Poucas empresas desfrutam os privilégios do poder de monopólio no segmento onde atuam.
A maioria dos mercados se tornou cada vez mais global, saturada e portanto mais competitiva.
As empresas precisam fazer algo para se destacar, precisam fazer algo de diferente, precisam “ saber algo que ninguém mais sabe” - Aristóteles Onassis. 
Quando analisamos a concorrência a estratégia é se diferenciar, ou seja, oferecer aos clientes algo que a concorrência não possa entregar, e isso em todos os estágios do processo da empresa, desde matéria prima, atendimento até a entrega final. 
Alguns dos  benefício de ser diferente e inovador é poder fidelizar seus clientes tornando-os leais a marca, também é possível ter maior flexibilização dos preços. A diferenciação protege os produtos e serviços da concorrência dos que oferecem preços menores, é capaz de garantir ao negócio a vantagem competitiva para que ela se destaque no mercado. 

Dicas para implantar seus diferenciais: 

  1. Entender quem é seu público: 

Faça uma segmentação do seu público, seu mesmo negócio pode atender públicos diferentes, por isso, entenda que é preciso falar com o público certo e não tentar atingir todos ao mesmo tempo sem estratégia.
Por exemplo: Um medicamento para diminuir a retenção de líquido tem uma realidade para uma pessoa idosa ou para uma pessoa que está em processo de emagrecimento. As motivações do uso são diferentes. 
Para segmentar dentro da própria empresa crie grupos, e pense como é o comportamento de cada um deles, seja infantil, idosos, pais, mães, busque atingir o que ele deseja. 

  1. Classifique:

Dentre todos seus grupos segmentados, mapeie quais são os mais estratégicos, quais são os mais rentáveis e quais são os mais disputados pela concorrência. 

  1. Categorize:

Após ter seus segmentos e grupos definidos, vamos pensar como os seus produtos e serviços serão diferenciados. 
Quais são os diferenciais que seu cliente deseja? Porque o diferencial tem que ser percebido pelo seu cliente, se não ele apenas pode acarretar em custos para sua empresa. 
Será seu atendimento? Sua agilidade na entrega? Seu horário de atendimento? Seu preço? Seu produto? 

  1. Se comunique:

Não adianta nada inserir mídia no jornal se seu público está nas redes sociais. Por isso, saber para quem está comunicando é essencial.
Utilize a linguagem que se adeque com seu público. Por exemplo: Uma campanha com a Galinha Pintadinha deve atingir as crianças e não pessoas que não fazem ideia de quem ela seja. 
Pense também na rotina do seu público, qual o melhor momento para se comunicar com ele? Qual o melhor formato? 
Outra forma de comunicação é a imagem que você cria e transmite para seu público. Tanto no atendimento, na organização da loja, na linguagem do atendente, na inclusão social de seus colaboradores, tudo comunica. 

  1. Busque diferenciar seus processos internos: 

Quando paramos para analisar a concorrência, automaticamente voltamos nosso olhar para nossa casa, ou seja, para nossa empresa. 
Muitas vezes a falta de diferenciação perante o cliente se dá por questões internas, por processos burocráticos, pela falta de organização, pela falta de autonomia.
Por exemplo: Um estoque mal identificado faz com que o atendente demore mais na entrega do medicamento, e quem está esperando é o cliente.  Ou o atendimento não ter autonomia em negociar o preço dos produtos e esperar o gerente voltar do almoço para validar a compra, tudo tem um impacto no final. 
Inclua toda a sua organização nesse processo de inovação, para que todos juntos somem esforços para o resultado final. 

  1. Não tenha medo:

Não tenha medo de começar algo novo, de incluir elementos de mudança dentro da organização. Não tenha medo de buscar novas parcerias, de ter paciência para colher os frutos.
É nessa busca que podem surgir grandes novidades. 

  1. Tenha uma estratégia bem fundamentada:

Quando a dúvida bater, ou quando o resultado estiver demorando, entenda que tudo é um processo de construção.
Por isso, tenha uma estratégia bem fundamentada, como em um jogo de xadrez, eu movi essa peça, talvez pareça a peça errada, mas ela faz parte da estratégia maior do jogo. 

Conexão emocional com seu cliente:

Um dos pilares da diferenciação é que você cria vínculos emocionais. 
Quando conseguimos atingir essa relação com nosso cliente é preciso entender que ele entende seus diferenciais, mas que ainda tem mais expectativas. 
Por isso, deverá constantemente ouvi-lo e pensar em formas que ainda podem surpreendê-lo.  Ou seja deve ser cultivada e protegida. 
Destacar-se na multidão é uma batalha constante que se dá no coração e na mente de todos os funcionários da empresa, bem como nos clientes. 

 

“Para ser insubstituível é preciso ser sempre diferente”.Coco Chanel

 

 

Receba novidades, dicas de gestão farmacêutica e muito mais!

Posts recentes