9 Dicas para um feedback de sucesso

01/07/2020
Image

Talvez você já tenha ouvido frases do tipo: “ A tecnologia vai substituir as pessoas”, “ se for automatizar todo o processo, o que as pessoas irão fazer?” 

A verdade é que sim, a cada dia que passa a tecnologia vem evoluindo cada vez mais, e otimizando muitos processos do dia a dia, mas ela não será capaz de substituir as pessoas, no quesito criatividade, o poder do pensar, sentimentos e a conexão humana.

Quando falamos de gestão, um dos pilares mais importantes são as pessoas, afinal são elas que trazem novas ideias, oportunidades de melhoria, que se conectam com os clientes e que são fator primordial nas relações. 

Por isso, hoje separamos algumas dicas de como dar feedbacks aos colaboradores, de modo que eles estejam em constante evolução, não apenas no âmbito profissional, mas também pessoal. Afinal, somos seres únicos e conectados, o que impacta na vida profissional acaba afetando a vida pessoal, do contrário também é verdadeiro.

Um feedback mal colocado pode trazer o resultado totalmente contrário ao desejado, já um feedback preparado e bem elaborado não apenas traz uma nova visão mas motiva uma verdadeira mudança.

 

Abaixo 9 dicas de como dar um bom feedback:

 

1- Postura e local:

Escolha um local adequado, privado, onde o assunto possa ser debatido sem interrupção e onde haja sigilo na conversa. 

Também esteja atento em que lado você está na mesa. Não permita que uma mesa separe a conexão do momento, sente-se ao lado, dessa forma estará próximo e esta postura passará a mensagem de que o momento é importante e não apenas uma mera formalidade. 

 

2- O problema é nosso:

Não faça do momento uma sessão de reclamação, apontando o erro, como se houvesse um culpado.

O problema deve passar de seu para nosso, onde o colaborador percebe que a gestão está disponível para ajudar na situação, estando ao lado, junto nessa caminhada.

Aqui é muito importante cuidar com a linguagem exercida, por exemplo: “ O que você vai fazer sobre isso?”  para “Como posso te ajudar nisso?”

3- Uma via de mão dupla:

O momento do feedback deve ser para dar e receber.

Não adianta apenas uma via falar, apontar os pontos necessários e não abrir o caminho para que a outra pessoa também possa falar.

Abra espaço para perguntas, para entender o outro ponto de vista, de se colocar a disposição e desenhar juntos o caminho da mudança. As vezes é mais fácil encerrar uma conversa por ser delicada, mas isso não resolve, só estará postergando algo importante.

 

4- Reconheça os pontos fortes:

Sempre há o que mudar ou fazer melhor, e é bom ouvir isso desde que seja bem colocado. 

Não faça desse momento uma lista de erros, ou apenas apontar o que não agradou. Ressalte todos os pontos positivos de seu colaborador, todos os bons resultados que ele trouxe, e sinalize os pontos de mudança como oportunidade de melhoria.

As pessoas tendem a se sentir mais motivadas aos elogios, pense que esse pode ser o momento de dar um gás no seu colaborador, onde o resultado será bom para ambas as partes.

 

5- Se mostre presente:

O feedback não deve ser um momento de check list, mas sim, onde todos os pontos abordados foram observados de fato.

Quando solicitar uma mudança, por exemplo, no atendimento ao cliente, sinalize que você observou e sabe que seu colaborador pode fazer melhor, que quando ele coloca seus pontos fortes em vigor o resultado é diferente.

Dessa forma, seu colaborador saberá que você está prestando atenção, até mesmo nos simples detalhes.

 

6- Sem culpa e vergonha:

Infelizmente, muitos desde criança foram abordados por feedbacks que vinham carregados por culpa ou vergonha.

Fuja disso! Seu colaborador quer ouvir o que pode ser melhorado e não se sentir culpado ou com vergonha. Mesmo que a conversa seja sobre um assunto difícil ele deve ser tratado com maturidade, respeito e transparência.

 

7- Estou com você:

Assuma sua responsabilidade como gestor, se tem um problema, ambas as partes devem estar juntos nessa mudança.

Não pode haver barreiras na conversa, se não o resultado será a falta de conexão e empatia. 

 

8- Agradeça:

Se você não sabe o que tem que mudar, como isso vai acontecer.

Um gestor que reconhece os acertos ao invés de apenas apontar falhas, têm mais oportunidades de ver o crescimento de sua equipe. 

Não tenha medo de elogiar ou agradecer.

9- Dê a direção:

Palavras sem ação, são apenas palavras.

Não adianta uma conversa bem preparada, madura e eficiente sem desenvolver um plano de ação.

Registre tudo o que foi acordado em reunião, para que possa fazer esse acompanhamento, para que não seja apenas mais uma reunião, mas um momento de construção.

 

Toda construção é feita por pequenos pedaços, se nunca começar, nunca verá ela pronta. Assim são as relações, precisam ser abastecidas de confiança, transparência e oportunidades de mudança e evolução.

 

Receba novidades, dicas de gestão farmacêutica e muito mais!

Posts recentes

Image
Análise da Concorrência e Diferenciação - Parte I
Leia Mais
Image
30/09/2020
Invista em Perfumaria em sua farmácia
Leia Mais